Sem tomadas, pavilhões de Alcaçuz não terão mais ventiladores, rádios ou aparelhos de TV

Nos pavilhões de Alcaçuz, energia elétrica só para a iluminação dos corredores. Dentro das celas não haverá tomadas (Foto: Divulgação/Governo do RN)
Nos pavilhões de Alcaçuz, energia elétrica só para a iluminação dos corredores. Dentro das celas não haverá tomadas (Foto: Divulgação/Governo do RN)
A reforma do Complexo Penitenciário de Alcaçuz/Rogério Coutinho Madruga – que em janeiro passou por rebeliões e assistiu a matança de 26 detentos – está perto do fim. Segundo o Gabinete Civil do Governo do Estado, as obras devem ser concluídas no próximo mês. A reforma do Rogério Coutinho, mais conhecido como Pavilhão 5 de Alcaçuz, está na fase final. Resta construir uma recepção para advogados e familiares, e uma enfermaria.
Em Alcaçuz propriamente dita, os prédios dos pavilhões 1, 2, 3 já começaram a ser retelhados, paredes reerguidas e grades reinstaladas nas celas. “Estamos diante de um recomeço”, define a secretária-chefe Tatiana Mendes Cunha. E a recomeço virá com mudanças. Uma delas é a retirada das tomadas dos pavilhões. Ou seja, quando os presos retornarem às carceragens, não poderão manter equipamentos elétricos. Isso significa nada de ventiladores, rádios ou aparelhos de TV.
“E não será apenas a penitenciária de Alcaçuz que terá novos procedimentos e condutas. Com a implantação do Plano Diretor do Sistema Prisional, que o governador lançará ainda neste primeiro semestre, todas as unidades prisionais do estado adotarão novos procedimentos de tratamento dos detentos, seguindo orientação dos Agentes da Força de Intervenção”, afirmou a secretária em entrevista ao G1. “O destino de Alcaçuz e de todas as unidades carcerárias do estado dependem do Plano Diretor que está sendo elaborado por determinação do governador Robinson Faria”, acrescentou. Do G1 RN

Nenhum comentário :

Postar um comentário