Chuva de Bala relembra os 90 anos da resistência do povo mossoroense


O adro da Igreja de São Vicente passa a ser mais uma vez palco do combate épico entre Mossoró e o bando do cangaceiro Lampião, com a encenação do “Chuva de Bala no País De Mossoró”. O espetáculo que relembra a história de resistência do povo mossoroense estreou na noite de sexta-feira, 16.

A 16ª edição do espetáculo traz consigo um sabor especial: a celebração dos 90 anos da resistência. E com o orgulho de contar e cantar a história daquele 13 de junho de 1927, 76 artistas mossoroenses sobem ao palco em frente à Igreja de São Vicente, sob a direção de João Marcelino.

O diretor destaca que a inovação do espetáculo deste ano fica por conta da utilização de elementos multimídia para contar a história da resistência. “Serão utilizadas duas linguagens, a teatral e a de vídeo, simultaneamente. Isso permite aos atores trabalharem uma linguagem diversificada”, observa João Marcelino.

Entre novidades e inovações do espetáculo, um retorno: os atores Marcos Leonardo e Dionizio Cosme do Apodi, que dão vida aos protagonistas Coronel Rodolfo e Capitão Lampião, respectivamente.

“É uma emoção especial retornar a Mossoró, rever amigos e reviver Lampião, que é uma pessoa com muita história de vida. Uma personagem muito interessante de reviver”, diz o ator Dionísio Cosme do Apodi. Para o ator Marcos Leonardo, também é uma satisfação voltar a dar vida a Rodolfo Fernandes. “Rodolfo Fernandes é um herói. É um prazer imensurável voltar, com mais experiência. E voltar com Dionísio é um privilégio”, afirma.

A prefeita Rosalba Ciarlini, que idealizou o espetáculo em seu segundo mandato, enfatiza que o Chuva de Bala no País de Mossoró é um patrimônio do povo de Mossoró. “É um espetáculo que retrata a bravura e a história dos mossoroenses”, frisa.

Adaptado do texto original do poeta potiguar e escritor Tarcísio Gurgel, o espetáculo Chuva de Bala no País de Mossoró é vestido pela música de Danilo Guanais, que ganha novos arranjos pelas mãos dos músicos Eduardo Pinheiro e Marco França. Na direção de palco e produção executiva, Gilca Leonardo, ao lado do produtor executivo Emanuel Castro.

A apresentação do Chuva de Bala no País de Mossoró é realizada de quinta-feira a domingo, a partir das 21h, no adro da Igreja de São Vicente. As encenações seguem até dia 30 de junho, segundo informa João Marcelino.

Nenhum comentário :

Postar um comentário