Comissão Internacional oferece recompensa na recaptura de peixes marcados no litoral de Areia Branca

Cada peixe capturado pode render até R$ 50 para o pescador
Neste sábado, dia 1º de julho, acontece em Areia Branca uma ação de sensibilização voltada para os pescadores da região. Durante todo o dia, integrantes da Comissão Internacional para a Conservação dos Atuns do Atlântico (ICCAT – International Comission for the Conservation of Atlantic Tuna) vão orientar os profissionais da pesca sobre a recaptura de peixes marcados pela comissão nos últimos meses e também sobre os valores de recompensa. A Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) é parceira da Comissão por meio do professor Guelson Silva, do curso de Engenharia de Pesca.
Segundo o professor Guelson, o representante do ICCAT, Pedro Guemes, será o responsável pela campanha de divulgação das recompensas do Programa de Marcação e Recaptura de Atuns no Oceano Atlântico Tropical (AOTTP – Atlantic Ocean Tropical Tuna Tagging Program). A visita também contará com a presença do Engenheiro de Pesca, Rafael Muniz, da Universidade Federal Rural de Pernambuco, chefe da equipe de recaptura no Brasil.
Na oportunidade, serão distribuídos cartazes de divulgação e estabelecidos os valores pagos pela recuperação das marcas colocadas nos atuns. Segundo o professor, Guelson, cada peixe marcado que for recapturado pode render até R$ 50 para o pescador. Os pesquisadores querem recapturar os peixes com as marcas amarela e vermelha. Nos cartazes estarão todas informações sobre valores, capturas e telefones e e-mails de contato da equipe.
Para o professor, quanto maior o alcance da divulgação, maior será o sucesso do programa na recuperação das marcas. Cerca de 1.500 peixes foram marcados e soltos pelo litoral da região. O Programa já investiu R$ 2 milhões só no processo de marcação. Esses recursos são provenientes da comunidade internacional, principalmente de países europeus.

Nenhum comentário :

Postar um comentário