Fim do horário de verão pode reduzir movimento de bares, diz associação


O fim do horário de verão, que está em estudo pelo governo federal, pode impactar negativamente o movimento de bares e restaurantes, afirmou o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-SP), Percival Maricato. Segundo ele, o movimento dos bares aumenta 20% no verão.
"Acredito que sem o horário de verão o movimento pode cair um pouco ou deixar de crescer", disse. Maricato negou que a entidade vá fazer uma campanha em prol do horário de verão. "Não vamos fazer um movimento corporativo. É uma decisão técnica, que tem mais a ver com questões de meio ambiente e economia de energia", afirmou.
Ele ressaltou, no entanto, que o horário de verão favorece o "happy hour", já que demora mais para anoitecer. "As pessoas saem do trabalho e está mais claro. Estimula a interação social e happy hour. Quando é escuro, muita gente quer ir embora logo e tem medo de esperar no ponto de ônibus", afirmou.


Horário de verão em análise
 
A reavaliação da medida se baseia em estudos recentes do ministério, que mostram "efetividade decrescente" do horário de verão nos últimos anos. Segundo esses relatórios, o perfil de consumo da energia elétrica mudou e, com isso, a mudança do relógio economiza cada vez menos energia.
Se nada for anunciado nas próximas semanas, o horário de verão deve entrar em vigor no dia 15 de outubro, em dez estados e no Distrito Federal. Nessas regiões, o relógio deve ser adiantado em uma hora até o dia 18 de fevereiro de 2018.
G1

Nenhum comentário :

Postar um comentário