Operação na Rocinha durará tempo indeterminado

Na Zona Oeste e Norte do Rio, a operação da Polícia Militar para reprimir ações de criminosos, nesta sexta (22), prendeu 8 criminosos e apreendeu 1 pistola cal. 40, uma réplica de fuzil AR15, 80 quilos de maconha, quatro radiotransmissores, 145 papelotes e 34 pinos de cocaína, 88 pedras de crack, 09 frascos de loló, fogos de artifício e máquinas caça-níqueis. A operação recuperou também três caminhões com parte das cargas e nove veículos roubados. 
Para o secretário de segurança, não há guerra no Rio. "Há uma ousadia (do crime). Há três facções e mais as milícias que, com armamento de guerra, disputam territórios na base do fuzil e da bala. É uma realidade que a gente convive e tentamos combater o tempo todo. Mas não há uma guerra", diz Roberto Sá.
Roberto Sá negou que o governo do estado tenha demorado a pedir o reforço das Forças Armadas. "Infelizmente, sempre há embates (confronto com traficantes). Se a gente consegue estabilizar, mantemos a polícia estadual. Se a situação continuar instável, a gente pede o reforço. Foi o que aconteceu", afirmou.
Roberto Sá declarou também que, neste momento, os bandidos da Rocinha estão em "vantagem tática". "Eles estão no lugar mais alto da favela e dentro do mato", informa o repórter Cássio Bruno.

Nenhum comentário :

Postar um comentário