Policiais militares rejeitam proposta do Governo e não voltam às ruas

Os bombeiros e policiais militares decidiram, em assembleia na manhã desta sexta-feira (5), manter o aquartelamento iniciado no dia 19 em protesto contra o atraso salarial e más condições de trabalho. Líderes de associações tiveram um encontro, na noite desta quinta-feira (4), com a secretária de Segurança Pública e Defesa Social, Shiela Freitas, mas não houve avanço nas negociações.

Na assembleia, foi apresentada apenas a proposta do governo de iniciar o pagamento do salário de dezembro a partir do dia 12 de janeiro –mesmo assim não na totalidade. Não há data para pagamento do 13° salário de 2017.

Segundo Roberto Campos, presidente da Associação dos Cabos e Soldados do Estado, a situação tende a ficar mais complicada porque o governo não deu soluções a nenhuma das demandas de infraestrutura e equipamentos apresentadas.

“Não houve respeito, nenhuma pessoa sequer da área de finanças foi conversar conosco. A operação segue, e agora os policiais estão cada dia com o psicológico mais afetado. O que as facções nunca conseguiram, o que os presos e presídios nunca conseguiram, o Estado agora conseguiu, que é nos abalar”, disse.


Com acréscimo de informações do UOL

Comentários