Marina diz que Haddad é semelhante a Dilma e que votar em ‘indicado’ pode levar Brasil ao ‘poço sem fundo’

A candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, afirmou nesta quarta-feira (12) em entrevista à rádio Super, de Minas Gerais, que o novo presidenciável do PT, Fernando Haddad, é "muito semelhante" à ex-presidente Dilma Rousseff.
Segundo ela, votar em "indicado" pode levar o Brasil novamente a um "poço sem fundo". Ex-ministra do governo Luiz Inácio Lula da Silva, Marina Silva se referia ao fato de Haddad - assim como Dilma em 2010 e 2014 - ter sido apadrinhado por Lula na eleição presidencial.
Haddad assumiu oficialmente nesta terça (11) a cabeça de chapa do PT na disputa pela Presidência, depois que Lula teve a candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base na Lei da Ficha Limpa.
"[Haddad] é muito semelhante [a Dilma]. [...] As coisas ruins foram aprofundadas no governo Dilma-Temer. As coisas boas foram sendo desaceleradas, e a população brasileira não pode deixar de pedir uma prestação de contas do que levou o Brasil para o fundo do poço", disse Marina à rádio.
"Se continuar fazendo o voto em cima apenas de quem é indicado, podemos ir para um poço sem fundo", complementou.
Na pesquisa Ibope divulgada nesta terça, Marina Silva caiu três pontos, passando de 10% para 7%. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais.
O Datafolha também detectou na segunda-feira (10) a queda da presidenciável da Rede. No levantamento do Datafolha, Marina caiu ainda mais do que no Ibope, passando de 16% para 11%. A margem de erro da pesquisa do Datafolha é de dois pontos percentuais (com a margem de erro, ela tem de 9% a 13%).

Comentários