Black Friday cresce em faturamento, mas reclamações de maquiagem de preços persistem

Consumidores começaram a comprar na noite de quinta em hipermercado de SP 
(Foto: Celso Tavares/G1)
A Black Friday de 2018 cresceu em relação ao ano passado, sobretudo no e-commerce, mas as queixas dos consumidores seguiram elevadas. Os números ainda preliminares mostram um crescimento de até dois dígitos nas vendas.
O levantamento realizado pela Ebit/Nielsen apurou que as vendas no e-commerce alcançaram R$ 2,1 bilhões por volta das 17h desta sexta-feira, 23, igualando o faturamento total de 2017. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o avanço era de 26%. O tíquete médio de compras também cresceu, para R$ 641, alta de 10%.
No mapeamento realizado pelo Índice Cielo de Varejo Ampliado (ICVA), até as 17h, as vendas nas lojas físicas e e-commerce, aumentaram 9,4% na comparação com 2017 – somente as vendas online tiveram alta de 14%.
Apesar de os números indicarem um crescimento robusto, as queixaram dos consumidores seguiram altas. O balanço do Procon-SP mostrou que foram recebidas 258 reclamações sobre a Black Friday até as 18h. Destas, 87 se referem a maquiagem de desconto. Outras 52 queixas foram sobre mudança de preço ao finalizar a compra.
Os consumidores também reclamaram de produto indisponível, pedido cancelado pela empresa após finalização da compra e site intermitente ou congestionado. (Com informações G1).

Comentários