Defesa mostra laudo no qual indica que Kerinho apresentou documentos no prazo e acusa falha do TRE-RN

por Dinarte Assunção
Votos de Kerinho podem interferir em composição da bancada federal (Foto: reprodução/Internet)

A defesa de Kericlis Ribeiro Alves, o Kerinho, apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral, em 16 de outubro, laudo pericial indicando que todos os documentos necessários para a sua candidatura foram apresentados em 14 de agosto.
Até aqui, tanto MP como Justiça Eleitorais não têm reconhecido tal afirmação, razão pela qual Kerinho não teve seus quase 9 mil votos validados, o que pode tirar a vaga de deputado federal de Fernando Mineiro para Beto Rosado.
No laudo assinado por Arnóbio Medeiros, analista de sistema, e que foi apresentado ao Tribunal Regional Eleitoral, foram feitos dois testes no Candex, onde se registra o pedido de candidatura.
No primeiro teste, o analista fez cópia de segurança do arquivo que está na Justiça Eleitoral e depois simulou um novo registro de candidatura, apresentando todos os documentos necessários para disputar uma eleição. Ele constatou que os dois arquivos, o que está na Justiça Eleitoral e o que ele fez como teste, têm exatamente o mesmo tamanho, 1.073.152 bytes.
Na sequência, ele fez outro teste omitindo documentos, e constatou que o tamanho do arquivo é menor do que aquele que consta na Justiça Eleitoral, concluindo, daí, que é lógico que todos os documentos de Kerinho foram apresentados.
Além disso, juntou cópia exata do recibo de entrega de arquivos que a Justiça Eleitoral emitiu em 14 agosto. Nele, se lê que Kerinho apresentou documentos “contendo os dados biográficos, fotos e documentos constantes dos requerimentos do registro de candidatura”. O recibo não discrimina exatamente, no entanto, os documentos apresentados.
Ao analisar o arquivo, o desembargador Glauber Rêgo negou a lógica do laudo, explicando, com base no que foi repassado pelo setor de tecnologia do TRE, que apenas técnicos da Corte tinham acesso ao conteúdo supostamente periciado.
Procurada pela reportagem, a defesa de Kerinho, feita pelo advogado Felipe Cortez, não retornou até a publicação desta matéria.

Comentários