Fátima Bezerra terá que mostrar trabalho para o povo não sentir saudade de Robinson mais cedo do que se imagina

Fátima Bezerra diz que tomará medidas para conseguir pagar os salários dos 
servidores a partir de 2019 (Foto: Heloisa Guimarães/Inter TV Cabugi)
A governadora eleita Fátima Bezerra (PT) só assume o mandato em janeiro de 2019, mas já adotou o velho e surrado discurso de que enfrentará dificuldades para administrar o Estado. Como se não soubesse com bastante antecedência que o Rio Grande do Norte está “quebrado”. Financeiramente. Faz tempo.
No desenrolar da campanha de Fátima Bezerra ao Governo do RN tudo era lindo e maravilhoso. Os discursos de promessas minimizavam a crise financeira que assola no país e se colocava (a candidata) como solução para problemas críticos como segurança pública, crise na saúde e atraso de salários, entre outros.
A partir de 1º de janeiro de 2019 Fátima Bezerra terá que mostrar a que veio, ou melhor, colocar em prática o que foi dito em palanque. Sob risco de logo, logo o povo potiguar começar a sentir saudade do governo Robinson Faria (PSD).
O espanto de Fátima
Na sexta-feira, 30, diante do anúncio do Governo do Estado de que não tem como pagar o 13º salário de 2018, Fátima Bezerra reagiu e disse que a situação do Executivo é pior do que ela imaginava. Como se não soubesse, não conhecesse de perto a situação financeira do Estado.
“Não temos ainda os dados precisos no que diz respeito ao desequilíbrio fiscal-financeiro no Estado do Rio Grande do Norte. No entanto, as informações preliminares apontam que a situação é mais grave ainda do que nós imaginávamos”, declarou à reportagem da Inter TV Cabugi.
A governadora eleita disse também que, a partir de 1º de janeiro, quando ela assume a chefia do Poder Executivo, “todas as medidas necessárias para corrigir esse desequilíbrio fiscal-financeiro serão tomadas”.
“Não há aqui uma medida milagrosa. Mas a nossa principal prioridade é normalizar o pagamento em dia dos servidores do nosso estado”, enfatizou.
A quebradeira é geral 
Essa incerteza quanto ao 13º salário não é privilégio apenas do funcionalismo público estadual do RN.
Funcionários públicos de cinco estados ainda não sabem quando receberão o 13º salário, segundo levantamento do G1com os governos.
No Rio Grande do Sul e no Rio Grande do Norte, o benefício de 2017 ainda não terminou de ser pago, o que significa que o deste ano também vai atrasar.
No Rio de Janeiro, o governo avisou que não pagaria a 1ª parcela até a sexta (30), mas se comprometeu a fazer o depósito de 2018 no próximo mês. Em Minas Gerais e em Pernambuco, ainda não há datas para o pagamento.
Nos últimos anos, a maioria dos estados tem enfrentado dificuldades para fechar as contas por causa da crise econômica. Com menos arrecadação e mais gastos com pessoal, atrasos em pagamentos de salários e benefícios tornaram-se comuns em parte deles.
Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgado nesta semana mostra que, apesar de recuperação das receitas neste ano, a situação fiscal continua ruim. Isso porque os gastos com as folhas de pagamento continuaram crescendo.
“O esforço de contenção dos gastos com servidores ativos não foi suficiente para compensar o rápido crescimento dos gastos com pessoal inativo”, disse Cláudio Hamilton dos Santos, pesquisador do Ipea e um dos autores do estudo.
Em 2017, quatorze estados estouraram o limite de gastos previsto em lei com a folha de pagamento de pessoal – o que significa que gastaram mais de 60% das receitas com isso.
Confira a situação de todos os estados:
Pagamento do 13º nos estados
Estado Situação do pagamento do 13º
AC regular (até 24/12)
AL regular (15/12)
AM regular
AP regular
BA regular
CE regular
DF regular
ES regular (pagamento no aniversário do servidor)
GO regular (pagameto ocorre no aniversário do servidor)
MA regular
MG indefinido
MS regular (18/12)
MT regular (pagamento após aniversário do servidor)
PA regular
PB regular
PE indefinido (pode ser em dezembro)
PI regular
PR regular (10/12)
RJ indefinido (pode ser em dezembro)
RN indefinido
RO regular
RR regular
RS indefinido
SC regular
SE parcelamento ou empréstimo para recebimento integral em dezembro
SP regular
TO regular
Com informações G1 MG, G1 PE, G1 Rio, G1 RS, G1 RN e G1 SE

Comentários