Polícia apreende mala com dinheiro e armas na casa do médium João de Deus, suspeito de abuso sexual


Polícia apreende mala com dinheiro e armas em casa de João de Deus, em Abadiânia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera


A Polícia Civil apreendeu nesta terça-feira (18) uma mala com dinheiro e armas na casa do médium João de Deus, preso suspeito de abusos sexuais, em Abadiânia. Durante as buscas, feitas também na Casa Dom Inácio de Loyola, foram encontrados recibos de cursos superiores que seriam pagos por ele a vítimas.

A corporação não divulgou quantas e quais armas foram encontradas e nem qual o valor total em dinheiro que foi encontrado no local. O material foi encaminhado para a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), unidade responsável pelas investigações.

Ministério Público recebeu 506 relatos de abusos sexuais

Das mulheres que denunciaram caso ao MP, 30 já foram ouvidas
Polícia Civil colheu depoimentos de outras 15 mulheres. Apenas 1 caso vai virar inquérito
Há relatos de supostas vítimas de seis países e vários estados brasileiros

Médium é investigado por estupro, estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude

Força-tarefa também pretende investigar denúncia de lavagem de dinheiro

Não há pedido para suspensão do funcionamento da Casa Dom Inácio de Loyola, onde médium atende

Durante as buscas no centro em que o médium atendia, os investigadores também estiveram na sala onde aconteceriam os abusos. Em depoimento, o médium afirmou que possui uma sala na Casa Dom Inácio de Loyola, cuja porta é transparente. Ele declarou que “nunca trancou a porta para atendimentos e, muitas vezes, é o atendido quem a tranca”.

De acordo com João de Deus, a sala também possui um sofá, um local para refeição e um banheiro. Ele contou também que há duas janelas na sala, uma geralmente fica aberta e a outra fechada. "Outras pessoas podem visualizar o interior [da sala] do exterior”, afirma o suspeito.

Diante dessas declarações, a polícia fez imagens do local para poder confrontar com todos os depoimentos colhidos.

Os mandados de buscas e apreensões foi expedido junto com o pedido de prisão do médium. Esta foi a primeira vez que a Polícia Civil entrou na Casa desde que as denúncias de abuso sexual começaram a surgir.

O advogado de defesa Alberto Toron informou que não foi comunicado sobre as buscas feitas na casa de não tem conhecimento do objetivo da ação. A administração da Casa Dom Inácio de Loyola informou que o local seguiu aberto e vai manter o funcionamento normal durante a semana.


CONTINUAR LENDO CLIQUE AQUI

Comentários