Polícia apreende pedras preciosas, medicamentos e dinheiro em casa onde João de Deus teria abusado sexualmente de mulheres

João de Deus na última visita à Casa Dom Inácio Loyola, em Abadiânia (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
A Polícia Civil de Goiás voltou à Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, nesta sexta-feira, 21, onde João Teixeira de Faria, o João de Deus, teria cometido abusos sexuais contra mulheres. A corporação informou à TV Anhanguera que apreendeu pedras preciosas, medicamentos e dinheiro. Ele nega as acusações.
Segundo a corporação, a equipe está fazendo uma perícia complementar no local com apoio da Vigilância Sanitária e do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). João de Deus já foi indiciado por violação sexual mediante fraude com base no depoimento de uma mulher que contou ter sido abusada pelo médium no último dia 24 de outubro deste ano.
A promotora Gabriella de Queiroz Clementino informou que estão sendo cumpridos novos mandados de busca e apreensão na Casa Dom Inácio e na residência de João de Deus. Ela não revelou se as equipes estão atrás de algum material específico, mas citou o que já foi apreendido.
“Já apreendemos documentos, pedras, a Polícia Científica acompanhou e produziu laudos complementares. A Vigilância Sanitária também acompanhou porque já tinha essa demanda porque havia comércio de medicamentos no local. Eles apreenderam alguns instrumentos cirúrgicos, mas ainda não temos um laudo”, afirmou.
Preso no último domingo, 16, quando se entregou à Polícia Civil, João de Deus está detido desde então no Núcleo de Custódia, que é considerado de segurança máxima. A unidade integra o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Defesa do médium tenta soltura dele em pedido de habeas corpus ao Supremo Tribunal Federal (STF).
Situação atual
  • Médium é investigado por estupro, estupro de vulnerável e violação sexual mediante fraude;
  • Ministério Público recebeu 506 relatos de abusos sexuais;
  • Polícia Civil colheu depoimentos de 15 mulheres e aguarda ouvir mais uma. Um dos casos já resultou em inquérito;
  • Polícia Civil investiga a posse de armas e R$ 400 mil encontrados no quarto do médium;
  • Há relatos de supostas vítimas de seis países e vários estados brasileiros;
  • MP e polícia também querem apurar denúncia de lavagem de dinheiro;
  • Não há pedido para suspensão do funcionamento da Casa Dom Inácio de Loyola;
  • Defesa tenta soltura do médium
Com informações G1 GO e TV Anhanguera

Comentários