Novo Ensino Médio é colocado em prática nas escolas SESI do RN



O Novo Ensino Médio, aprovado em 2017 pelo Congresso Nacional, deve ser implantado em todas as escolas do país até 2022. A mudança prevê aumento da carga horária de estudos, a implementação do ensino integral e a introdução da formação técnica profissional no currículo do ensino médio, entre outras.
De acordo com o Ministério da Educação, o Novo Ensino Médio vai permitir que estudantes escolham em quais áreas do conhecimento pretendem seguir, de acordo com o interesse e talento de cada um.
Nas escolas da rede de educação do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o Novo Ensino Médio foi implantado em 2018, de forma experimental, em cinco estados, e este ano vai se estender pelas outras 22 unidades da federação.
No Rio Grande do Norte, a Rede SESI de Educação vai iniciar o ano com duas turmas adaptadas às exigências do Novo Ensino Médio e os estudantes vão poder optar em cursar, além do ensino regular, Eletrotécnica ou Redes de Computadores.
“Aqui no Rio Grande do Norte estamos com várias expectativas boas. Somos a escola pioneira no estado a implantar o Novo Ensino Médio. Lançamos um edital no final de dezembro. São 84 vagas, duas turmas, e a partir do dia 15 de janeiro, esses alunos vão fazer as matrículas para poderem iniciar”, conta Ana Karenine Medina, Gerente Executiva de Educação do SESI-RN.
SESI no Rio Grande do Norte
A rede SESI conta com oito unidades em todo estado do Rio Grande do Norte que oferecem ensino infantil e fundamental, educação de jovens e adultos, ensino médio, educação continuada, saúde e segurança no trabalho, cultura, esporte e lazer para milhares de alunos e trabalhadores da indústria potiguar.

O Novo Ensino Médio nas escolas SESI prevê a formação técnica do estudante em parceria com o SENAI e permitirá aos jovens iniciarem a vida profissional mais cedo. Além disso, as escolas SESI contarão com curriculum integrado por áreas de conhecimento e não mais por disciplinas.
“É um divisor de águas para os alunos, em verdade. É quando você vai parar de medir conhecimento de aluno por nota e partir para analisar por conhecimento. Isso está sendo um grande diferencial para a gente. Os professores estão ansiosos para verem na prática como vai ser isso, para receber os alunos e explicarem a proposta do Novo Ensino Médio”, completa Ana Karenine Medina.
Novo Ensino Médio no SESI
Os primeiros 222 alunos do Novo Ensino Médio da Rede SESI de Educação vão receber diplomas de técnico de Eletrotécnica e do ensino regular. Eles são integrantes das turmas abertas nas unidades de Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo e Goiás, em 2018, com previsão de formatura em 2022.

Este ano, os estudantes da Rede SESI inscritos nas turmas do Novo Ensino Médio vão poder optar pelas áreas de matemática, ciências da natureza, técnico em mecânica ou de rede de computadores.
O pioneirismo do SESI e do SENAI na implantação do Novo Ensino Médio deve contribuir para aumentar o número de técnicos profissionais no mercado de trabalho nos próximos anos já que menos de 10% dos estudantes brasileiros se dedicam à formação técnica, segundo dados do próprio SESI.
“Um pequeno contingente de jovens faz a educação técnica junto com a educação regular. A reforma do ensino médio é positiva nessa direção. No Brasil, menos de 10% dos jovens de 15 a 17 anos fazem educação técnica junto com a educação regular. Na média dos países desenvolvidos é acima de 50%”, lembra Diretor-Geral do SESI, Rafael Lucchesi.
O Novo Ensino Médio prevê que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) fará parte de 60% das matérias estudadas em sala de aula. Os outros 40% são flexíveis e optativos nas áreas de linguagens, matemática, ciências de natureza, ciências humanas, sociais e para formação técnica profissional.
O estudo da matemática, português e inglês é obrigatório. A BNCC é formada ainda pelas disciplinas de história, geografia, biologia, física, química e literatura.

Comentários