Denúncia contra Robinson na Operação Anteros vai para primeira instância


Robinson Faria, ex-governador do RN


Redação
Ministro do STJ, Raul Araújo, mandou o processo voltar para a Justiça Estadual, uma vez que Robinson deixou o cargo de governador no último dia 31 de dezembro 

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Raul Araújo, enviou para a Justiça do Rio Grande do Norte o processo em que o Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-governador Robinson Faria (PSD) pelo crime de “embaraço a investigação de organização criminosa” no âmbito da Operação Anteros.

A decisão saiu nesta segunda-feira, 18, mas foi assinada pelo ministro ainda na quinta-feira, 14. No documento, Raul Araújo cita o fato de Robinson ter perdido o foro privilegiado no momento em que deixou de ser governador do Rio Grande do Norte. Com isso, o processo deve, automaticamente, retornar à Justiça Estadual.

A defesa de Robinson encarou a decisão do ministro com naturalidade ao afirmar que trata-se de algo “rotineiro e previsível, uma vez que governador deixou o cargo”.

Sobre a Operação Anteros
A Operação Anteros foi deflagrada pela Polícia Federal em agosto de 2017. Ela visa apurar crimes de organização criminosa e obstrução de justiça que teriam sido cometidos pelo então governador do Estado, Robinson Faria (PSD).

As manobras ilegais tinham por objetivo encobrir que fossem investigados atos do executivo estadual relativos ao desvio de recursos públicos por meio da inclusão de “funcionários fantasmas”, na folha de pagamento da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte entre os anos de 2006 até os dias atuais.

Comentários