‘Uber da moto’ chega ao Brasil e custa R$ 5,90; conheça

 
Foto: Divulgação/Riba Share
O Riba Share é um serviço de aluguel de scooters elétricas que promete ser uma forma mais versátil e ecológica para driblar o trânsito intenso. Por enquanto, o transporte individual está disponível no Brasil apenas no centro da cidade de São Paulo. A ideia é semelhante aos serviços de patinete elétrica e aluguel de bicicletas, com desbloqueio por meio de um aplicativo próprio, no estilo Uber.
Uma das características que deve chamar atenção é o preço cobrado pela corrida, que pode ser bem competitivo mesmo se comparado às tarifas do transporte público. Por outro lado, o usuário precisa de carta de motorista para pilota o veículo. Conheça a seguir as principais características do serviço, que chega atendendo ao centro e à região sul da capital paulista.
Como funciona a scooter?
As scooters elétricas da Riba são motos que não possuem câmbio e podem chegar a uma velocidade máxima de 50 km/h. Outra característica de destaque é que os veículos não geram poluição sonora, além de terem zero emissão de carbono. A troca das baterias do equipamento fica por conta da prestadora do serviço. Além disso, vale ressaltar que o veículo é totalmente conectado e não tem chave. Toda o procedimento é feito pelo celular.
Onde encontrar uma Riba Share?
Inicialmente, a Riba disponibilizou uma quantidade limitada de veículos, e a operação é restrita a certa área de São Paulo. As scooters estão dispostas dentro do mapa de atuação do serviço e podem ser encontradas em estações de metrô, trem, áreas de estacionamento pago, vagas para estacionamento de motocicletas e em alguns estabelecimentos ao ar livre. Ao contrário dos serviços de patinete e bicicleta compartilhados, não há pontos fixos para retirada e devolução.
Para ter informações precisas a respeito da área de atuação do serviço, encontrar uma motocicleta próxima ou mesmo para utilizar uma delas, é necessário instalar o aplicativo do Riba Share, que está disponível para Android (4.3 ou superior) e iPhone (iOS 9.0 ou superior). A empresa não dá detalhes de onde as motos estão disponíveis, mas sugere a utilização do serviço para ir da Berrini para o Parque Ibirapuera, ou do Jardins para a Vila Olímpia, por exemplo.
Foto: Divulgação/ Riba Share
Quanto custa?
A utilização do Riba Share requer o pagamento por tempo de utilização das scooters. Os primeiros 10 minutos têm preço fixo de R$ 5,90 e cada minuto adicional custa R$ 0,59. Outra opção é adquirir pacotes de minutos por preços promocionais. O valor é cobrado por meio do cartão de crédito, que deve ser cadastrado junto ao aplicativo.
A empresa informa que, em uma comparação ao serviço de ônibus, deslocar-se com uma das scooters pode trazer um ganho de tempo de aproximadamente 75%, com um custo pouco maior que de uma passagem. Já em relação a outros serviços de carona, a economia pode chegar aos 50%, além do ganho significativo de tempo.
Disponibilidade e exigências
O serviço funciona 24 horas por dia. A única limitação é quanto à disponibilidade de veículos para alugar na sua localização, já que a área de atuação ainda é restrita. Para desbloquear o uso de uma scooter, é necessário ser maior de idade, possuir a CNH da categoria (A) e cadastrar um cartão de crédito válido no app. Vale ressaltar que o acionamento das motos está condicionado ao uso do capacete, que fica no bagageiro.
O aluguel de scooters elétricas é novidade no Brasil. Por aqui, serviços de bicicletas e patinetes elétricas compartilhadas são mais comuns, com empresas como Scoo, Tembici e Yellow. A Uber é outra empresa interessada em realizar o serviço de aluguel de patinetes elétricas no país, e tem planos já para 2019.
Globo, via Techtudo

Comentários