Mulher é presa suspeita de matar filha de um ano em Maceió

Uma mulher de 20 anos foi levada para o Presídio Feminino Santa Luzia, em Maceió, como principal suspeita de matar a própria filha de um ano de idade. A criança morreu no sábado (9), no bairro Santa Lúcia. Ela ainda chegou a ser socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE). A Delegacia de Homicídios suspeita que a menina tenha sido morta por agressão física.
PUBLICIDADE
De acordo com o delegado Ronilson Medeiros, a mãe foi intimada para prestar depoimentos depois que os médicos que atenderam a menina suspeitaram que a criança teria sido vítima de espancamento.
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado pela própria mãe, que alegou que a filha tinha sofrido um choque elétrico na quinta-feira (6), mas que estava tendo convulsões no sábado. Segundo o delegado, ao realizar os primeiros atendimentos ainda na residência da criança, os médicos perceberam algumas manchas no corpo dela, que poderiam ter sido causadas por agressões físicas.
Ainda desacordada, os médicos levaram a menina para o HGE para tentar reanimá-la na unidade de saúde. A criança já chegou morta no hospital. Conforme informações do delegado, outro médico que estava na unidade suspeitou que ela tinha sido vítima de espancamento.
A Polícia Civil foi acionada e solicitou a necropsia. Ronilson afirmou que o resultado apontou para morte por espancamento e que o choque elétrico não poderia ter causado a morte da criança.
“A gente começou a ouvir vizinhos e familiares, e o próprio namorado falou que a mãe batia constantemente na menina. Os vizinhos contaram que ouviam sempre os choros da criança. O médico que fez a necropsia adiantou que foi espancamento”, afirma o delegado. Segundo ele, em depoimento, a mãe negou que tenha agredido a filha nos últimos dias, “mas confessou que teria dado uma surra nela no dia 20 de fevereiro”, confirma Ronilson Medeiros.
Outro detalhe, segundo o delegado, é que a mãe não socorreu a criança para nenhum hospital depois do choque elétrico. A mulher afirmou que a filha levou um choque ao mexer no ventilador, enquanto ela arrumava a casa. A avó materna da menina também foi ouvida e afirmou que, durante o carnaval, quando filha e neta foram para o interior, a criança não apresentava nenhuma mancha ou lesão, o que faz o delegado acreditar que as agressões ocorreram ou na quarta-feira (6) ou na quinta-feira (07)
A mulher foi autuada em flagrante por homicídio qualificado. Ela foi transferida para o Presídio Santa Luzia, onde deve aguardar julgamento. A menina completaria dois anos na próxima quinta-feira (14).

Comentários