Estudantes do CEEP em Alto do Rodrigues criam tabela periódica tátil e auxiliam aluna cega

FOTO: ASSECOM/RN

A inclusão por meio da educação, com atitudes que melhoram o acesso ao conhecimento. Foi com esse objetivo que duas alunas do Centro Estadual de Educação Profissional Maria Rodrigues Gonçalves, em Alto do Rodrigues, adaptaram, com ajuda dos seus professores, a tabela periódica para que uma estudante cega pudesse acompanhar as aulas de química.

A iniciativa surgiu quando as alunas do ensino médio Laine Sousa, do curso de Sistema de Energias Renováveis, junto com Aysla Ferreira, do curso de Informática, identificaram que a estudante Jéssica Dayane tinha necessidades educacionais especiais e não conseguia adquirir os conhecimentos apenas de forma empírica. “A ideia surgiu ano passado, quando eu observei a dificuldade da Jéssica em entender a tabela periódica e, a partir disso, busquei uma maneira de possibilitar a compreensão dela, pois sabemos que é de grande necessidade entender a tabela, pois é base de entendimento de outras disciplinas”, explica Laine.

A tabela desenvolvida pelas alunas utiliza recursos táteis que facilitam a compreensão dos elementos químicos de forma lúdica. Ela foi produzida com botões e algodão, diferenciando os 118 elementos químicos existentes.

A estudante Jéssica Dayane disse que a tabela vai contribuir muito para sua formação. “Eu fiquei muito feliz com a iniciativa, vai me ajudar muito”, explica. Além disso, Jéssica comemora por, finalmente, compreender de forma efetiva os conhecimentos adquiridos em sala de aula. “Através do tato eu consigo conhecer os elementos químicos e com isso eu posso entender melhor o assunto”, enfatiza a estudante.
Gestores da DIREC e do centro de educação participam do curso Práticas Pedagógicas para Inclusão da Pessoa com Deficiência Visual, promovido Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAP) em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer do RN por meio da Subcoordenadoria de Educação Especial (SUESP).

Para Suely Lima, supervisora de Assessoria em Educação Especial e Diversidade da 6ª Diretoria Regional de Educação e Cultura (Macau), após a Jornada Pedagógica, as ações estão sendo melhor desenvolvidas. “Nessa visita foram dadas algumas dicas e sugestões de como trabalhar com recursos táteis”, enfatiza a supervisora.

Tabela Periódica
O ano de 2019 é marcado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o ano internacional da tabela periódica, que foi desenvolvida há 150 anos atrás, quando o cientista russo Dmitri Mendeleev (1834-1907), criou a primeira tentativa de organização dos elementos químicos, que possui o formato semelhante ao atual. A organização dos elementos químicos na tabela facilita a compreensão de fenômenos que acontecem na natureza e contribuem para os avanços científicos até hoje.

Comentários