Servidores da Ufersa aprovam paralisação de 24h

No próximo dia 15 de maio será realizada a Greve Nacional da Educação, data em que professores, estudantes, técnico-administrativos (as) vão paralisar as atividades em todo o país contra as medidas do governo Bolsonaro (PSL) ao setor.
Em assembleia geral da categoria, os servidores técnico-administrativos da Ufersa aprovaram por unanimidade aderir à greve geral na educação.
O objetivo é denunciar o contingenciamento de recursos para as universidades públicas, o fim dos concursos públicos, os ataques à autonomia universitária, o congelamento de salários, e a Reforma da Previdência.
“O corte de 30% é muito mais profundo do que se imagina. Isso não vai refletir apenas na universidade, mas no comércio, no funcionamento geral da sociedade. Nós vamos defender a paralisação. Os companheiros precisam articular seus colegas de setores para somar nessa luta”, declara Francimar Honorato, coordenador de comunicação do Sintest/Ufersa.
Saulo Vale

Comentários