Emocionada, Marta pede renovação no futebol feminino brasileiro

Após a partida, válida pelas oitavas do torneio, disputada em Le Havre, a artilheira Marta fez um relato emocionado e cobrou apoio à modalidade e renovação das jogadoras, o Brasil foi derrotado pela França, por 2 a 1, na prorrogação e deu adeus à Copa do Mundo Feminina, neste domingo (23).
"Sem dúvida, essa Copa do Mundo é um momento especial que temos que aproveitar. É preciso mais valorização. Nós também temos que valorizar o que fazemos. Eu queria estar sorrindo ou chorando de alegria. Temos que chorar no começo pra sorrir no fim. É querer mais, treinar mais, se cuidar mais e estar pronta pra jogar 90 minutos e mais quantos forem. Não vamos ter Formiga, Marta e Cristiane para sempre. O futebol feminino depende de vocês para sobreviver. Valorizem isso! Chorem no começo para sorrir no fim", disse.
Sobre o jogo, a melhor do mundo reconheceu a qualidade das franceses na definição das jogadas, mas valorizou o esforço das companheiras.
"Demos o nosso melhor. Algumas foram até o fim e outras precisaram ser substituídas porque deram seu máximo. Sabíamos que seria um jogo difícil, com a torcida contra. Fizemos um grande trabalho, mas não conseguimos a vitória. A equipe delas foi melhor nas definições das chances que tiveram. Agora é seguir em frente de cabela erguida. Sinto muito orgulho dessa equipe", complementou a camisa 10 do Brasil.
Frustração
A goleira Bárbara, em entrevista na zona mista do Stade Oceàne, demonstrou decepção pela derrota em uma partida na qual o Brasil teve boa atuação coletiva.
"Você não consegue digerir. Perder é muito ruim. Fomos bem na partida, mas infelizmente não fomos as vencedoras. Tínhamos tudo para mudar nossa história. Mas perdemos jogando, lutando, para calar a boca delas, que diziam que iam ganhar a gente fácil.Viram que não é fácil jogar contra o Brasil. Tinha que sair um vencedor e, infelizmente, hoje a noite foi da França", declarou a goleira.
Já a lateral-esquerda Tamires destacou o fato do Brasil ter lutado de igual para igual com seleções de países que investem mais no futebol feminino.
"Estudamos bastante o time delas e sabíamos que o lado direito era muito forte. No gol delas não consegui o bote e ela foi feliz no giro. Ainda assim conseguimos o empate. Elas foram felizes na bola parada, na prorrogação. Saímos de cabeça erguida. Fizemos um jogo bom e mostramos nossa força, que podemos bater de frente com grandes seleções, que investem muito no futebol feminino. A gente espera, que mesmo como a derrota, tenha ficado o exemplo de que somos vitoriosas", frisou Tamires.
LOIC VENANCE / AFP

Comentários