Benes diz que votou a favor da reforma para que Brasil não seguisse caminho do RN

Benes Leocádio, deputado federal
O deputado federal potiguar Benes Leocádio (PRB) reconheceu que a reforma da Previdência é uma ação “impopular”, mas avaliou que a medida é necessária para mudar a realidade econômica do País. Segundo o parlamentar, as mudanças nas regras de aposentadoria vão ajudar o Brasil a reaquecer a economia, com a geração de novos empregos, e vão garantir que o pagamento de benefícios previdenciários não seja descontinuado.
“Sei, compreendo e respeito aqueles que discordam e que se mostram insatisfeitos ou desacreditados que essa reforma venha a melhorar a vida do nosso povo. Mas prefiro acreditar e assumir essa posição, porque estar representando uma parte da população do nosso estado é também missão assumir essas posições impopulares, mas que, na verdade, visam a mudar a realidade do nosso povo”, argumentou o deputado, em vídeo publicado nas redes sociais.
Um dos cinco deputados potiguares que votaram a favor do texto-base da reforma na Câmara, Benes Leocádio explicou que, caso a reforma não fosse aprovada, o governo federal poderia seguir o mesmo caminho do Rio Grande do Norte, que vivencia uma grave crise financeira. Por causa disso, o Estado tem atrasado o pagamento de benefícios para aposentados e pensionistas.
“O Instituto de Previdência (do RN) está quebrado. Os aposentados e pensionistas chegam ao final do mês sem ter a certeza de que o dinheiro vai cair nas suas contas. Para que não aconteça isso com o nosso País, alguém tem que fazer alguma coisa. É preciso ter a coragem de dizer as mudanças que precisam ser feitas”, acrescentou.
Benes defendeu, ainda, que os governos estaduais e as prefeituras que têm regime próprio de Previdência realizem a sua reforma local, para que a situação financeira não se agrave. Sem engajamento dos governadores, sobretudo os da região Nordeste, os estados e municípios foram excluídos da proposta de reforma na Câmara.
Números da Secretaria Estadual de Planejamento e Finanças (Seplan) mostram que, no Rio Grande do Norte, o déficit previdenciário gira em torno de R$ 130 milhões por mês. Atualmente, o Estado já tem mais beneficiários do regime de previdência (entre aposentados e pensionistas) do que servidores na ativa, o que tem aprofundado o rombo nas contas públicas, notadamente nos últimos cinco anos.
Benes tem sido criticado por ter votado a favor da reforma da Previdência. Nas redes sociais, os comentários são majoritariamente desfavoráveis ao deputado federal, que tem um perfil de eleitorado mais alinhado à esquerda. “Desejo paciência, compreensão e que, ao final, a gente possa ter melhorias e avanços na economia do nosso país e virarmos essa página negativa. Espero estar entre os brasileiros que deram essa contribuição, mesmo sendo incompreendido por muitos”, encerrou o parlamentar.
Da bancada potiguar na Câmara, cinco deputados votaram a favor do texto-base da reforma da Previdência: Benes, Beto Rosado (Progressistas), Fábio Faria (PSD), João Maia (PL) e Walter Alves (MDB). Dois parlamentares votaram contra – Natália Bonavides (PT) e Rafael Motta (PSB) – e um, Girão Monteiro (PSL), não compareceu por estar licenciado por motivos de saúde.
Agora RN

Comentários