Ministros com mandato de deputado serão exonerados para votar Previdência, diz porta-voz

Onyx, Osmar Terra e Tereza Cristina deixam temporariamente as funções no
 Executivo (Foto: Reprodução)
O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, confirmou na segunda-feira, 8, que os ministros de Estado que têm mandato na Câmara dos Deputados serão exonerados temporariamente para votar a proposta de reforma da Previdência em plenário.
Ao todo, o governo conta com quatro ministros com mandato na Câmara: Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Tereza Cristina (Agricultura), Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) e Osmar Terra (Cidadania).
Onyx e Terez Cristina são filiados ao DEM; Antônio é filiado ao PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro; e Terra é do MDB.
“Os ministros que têm mandato já estão liberados para participar da votação. O presidente entende que a presença deles em plenário há de reforçar a presença do governo em plenário no sentido de que a voz da Presidência é essencial para o futuro do nosso país”, disse o porta-voz durante o briefing diário à imprensa no Palácio do Planalto.
A intenção do governo é publicar a exoneração dos ministros nesta terça-feira, 9. A tendência é de que os quatro sejam reconduzidos ao cargo na próxima quinta-feira, 11.
Procuradas, as assessorias de Onyx Lorenzoni, Tereza Cristina e Marcelo Álvaro Antônio confirmaram que os ministros deixarão o cargo temporariamente para participarem da votação. O único ministro que permanecerá no cargo e não participará da sessão é Osmar Terra.
O suplente de Onyx é o deputado Marcelo Brum (PSL-RS); a suplente de Tereza Cristina é a deputada Bia Cavassa (PSDB-MS); o suplente de Álvaro Antônio é Enéias Reis (PSL-MG); e o suplente de Osmar Terra é Darcísio Perondi (MDB-RS).
Durante a votação na comissão especial da reforma da Previdência, PSL, MDB e PSDB votaram favoravelmente à proposta.
Aprovação
Na conversa com a imprensa, o porta-voz da Presidência ressaltou a confiança do governo na aprovação da proposta de reforma da Previdência.
Segundo Rêgo Barros, nas conversas que ministros mantiveram com deputados, o clima é de confiança na aprovação da PEC na Câmara ainda nesta semana. (Com informações TV Globo e G1 – Brasília).

Comentários