ABATIDO – (VÍDEO): Sequestro a ônibus na Ponte Rio-Niterói chega ao fim depois de mais de 3h após ação de atirador de elite

Foto: Reprodução/Record TV
Um criminoso fez 37 reféns dentro de um ônibus por três horas e meia – a maior parte na Ponte Rio-Niterói – nesta terça-feira (20). Às 9h04, o criminoso foi baleado por um atirador de elite ao descer do coletivo.
Às 9h18, a PM afirmou que o sequestrador estava morto e que todos os reféns passavam bem. A arma que ele portava era de brinquedo.
O bandido anunciara o sequestro às 5h25. Meia hora depois, já na Ponte, ele ordenou ao condutor para atravessar o veículo na pista sentido Rio. Seis pessoas foram libertadas ao longo das negociações.
O trânsito para o Rio está fechado desde as 6h. Às 7h20, também foi interditada a pista oposta.
Não se sabe a motivação do sequestrador, mas a PM considera que a ação foi premeditada.
“Temos um homem que se identificou como policial militar. Ele está ameaçando jogar gasolina no ônibus, colocando os passageiros em perigo. Não sabemos qual o real propósito dele”, explicou Sheila Sena, porta-voz da PRF, ainda no início do caso.
“Nossa principal missão é tirar os reféns de dentro do veículo e retomar as nossas vidas”, destacou o porta-voz da PM, coronel Mauro Fliess.
Fliess afirmou também que a PM analisa a hipótese de o sequestro do veículo ter sido premeditado. Segundo informações dos policiais militares que estavam no local, o homem parecia desorientado.
O criminoso se identificou como PM, mas a informação ainda não foi confirmada.
Esta linha sai do Jardim Alcântara, em São Gonçalo, na Região Metropolitana, e vai até o Estácio, na região central do Rio. Ela é a única linha que cobre os bairros do Rocha, Columbandê, Lindo Parque e Galo Branco em direção ao Rio.
A tragédia do ônibus 174
O assalto com reféns na Ponte faz relembrar o caso do ônibus 174.
Na tarde de 12 de junho de 2000, um assaltante e uma refém acabaram baleados e mortos, em caso exibido ao vivo na televisão, com grande repercussão no Brasil e no mundo.
Às 14h daquela segunda-feira, Sandro Barbosa do Nascimento tentou assaltar um ônibus da hoje extinta linha 174 no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio. Por mais de cinco horas, manteve os passageiros reféns.
Já era noite quando o assaltante, que dava sinais de muito nervosismo e violência, aceitou se render. Sandro saltou do ônibus com uma arma apontada para Geísa Firmo Gonçalves. Homens do Bope, à espreita, tentaram
Na saída, a ação de policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) terminou com a refém baleada e morta. O criminoso chegou a ser colocado no camburão, onde foi asfixiado por PMs e também morreu.


Com G1 e R7

Comentários