NO FERIADO DE 7 DE SETEMBRO, O SOBERANO NÃO VAI DEIXAR VOCÊ NA MÃO DAS 7H ÀS 15H, VOCÊ PODE, SIM, ECONOMIZAR COM A GENTE


PRESIDENTE DO CHILE DIZ QUE “NÃO COMPARTILHA” DAS OPINIÕES DE BOLSONARO SOBRE BACHELET “NUM ASSUNTO TÃO DOLOROSO”

Pressionado, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, se manifestou sobre as atrocidades ditas por Bolsonaro a respeito de Michelle Bachelet e seu pai, Alberto, assassinado sob Pinochet.

Segundo Bolsonaro, Bachelet “se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai, brigadeiro à época”.

Alberto Bachelet morreu sob tortura de ex-colegas de farda em 1974, aos 51 anos.

“Não compartilho da alusão feita pelo presidente Bolsonaro com respeito a uma ex-presidente do Chile (Bachelet) e, principalmente, a um assunto tão doloroso quanto a morte de seu pai”, disse num pronunciamento.

DORIA REAGE A BOLSONARO E COMPARA FALA DO PRESIDENTE A DE LULA

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), reagiu nesta quarta-feira, 4, às recentes declarações do presidente Jair Bolsonaro de que não seria um candidato competitivo na eleição presidencial de 2022. Doria comparou a postura de Bolsonaro à do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que desacreditou sua candidatura à prefeitura de São Paulo em 2016, quando o tucano foi eleito em primeiro turno.

Desde o último fim de semana, o presidente já disse que Doria está “morto” para a disputa pelo Palácio do Planalto e afirmou ao jornal Folha de S. Paulo que a intenção presidencial do governador “é uma ejaculação precoce” e “não tem apoio popular”. Embora não admita ser candidato à Presidência, João Doria disse em entrevista a VEJA em julho que não disputará a reeleição ao governo paulista e tem se movimentado como pré-candidato ao Planalto.

“Lula também falava isso em 2016, quando eu me apresentei como pré-candidato do PSDB às prévias do meu partido. Para tristeza do ex-presidente e hoje presidiário Lula, eu não só ganhei as eleições na capital como ganhei no primeiro turno de Fernando Haddad, candidato que Lula carregava no colo e dizia que seria facilmente reeleito. Portanto, de eleição, modéstia à parte, eu tenho vitórias que podem ser bem avaliadas no maior colégio eleitoral do país”, disse Doria.

A afirmação do tucano foi dada no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, em uma coletiva de imprensa na qual ele anunciou parcerias com a prefeitura de São Paulo que vão envolver cerca de 330 milhões de reais por ano em investimentos do estado em programas e 220 milhões de reais para a obra de duplicação da estrada do M’Boi Mirim, na Zona Sul da capital.

Antes da resposta de Doria ao presidente, a mulher dele, Bia Doria, havia publicado no Instagram uma postagem em que repudia as declarações de Bolsonaro e as classifica como “chulas, que ferem e desrespeitam a família brasileira e a importância do cargo que ocupa”. O governador curtiu a publicação da primeira-dama paulista.
Além de desacreditar a candidatura presidencial de João Doria, Jair Bolsonaro divulgou recentemente uma lista de empresas que fizeram empréstimos junto ao BNDES para compra de jatos executivos, entre as quais uma firma de Doria. Apesar da declaração nesta quarta-feira, o tucano e seus aliados vêm mantendo a posição de não responder às críticas e provocações do presidente.

“Não vou entrar em polêmicas, o momento é de gestão, não é de eleição. O momento não é de polemizar, é de administrar. Nós todos, responsavelmente, temos que fixar neste momento nossas ações e atitudes para fazer boa gestão. O Brasil ainda tem quase 13 milhões de desempregados, são pessoas que esperam e mantêm suas esperanças no governo Bolsonaro, nos governadores estaduais e nos prefeitos de suas cidades para que possam fazer boa gestão e, fruto delas, gerar mais empregos e oportunidades”, declarou Doria.

MEGA-SENA SORTEIA NESTA QUARTA-FEIRA PRÊMIO DE R$ 72 MILHÕES

Acumulada pela oitava vez consecutiva, a Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira (4) o prêmio de R$ 72 milhões. As seis dezenas do concurso 2.185 serão sorteadas a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, na cidade de São Paulo. O sorteio é aberto ao público.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. A aposta simples, com seis dezenas marcadas, custa R$ 3,50.

OPERAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL PARA COMBATER PORNOGRAFIA INFANTIL CUMPRE MANDADOS NO RN

Uma operação da Polícia Federal de combate à pornografia infantil cumpriu dois mandados de busca e apreensão no Rio Grande do Norte na manhã desta quarta-feira (4). Os mandados foram cumpridos em Natal, segundo a PF.
Ao todo, agentes da Polícia Federal e da Polícia Civil cumprem 105 mandados de busca e apreensão no Distrito Federal, em 14 estados do Brasil e em mais seis países. Esta é a 5ª fase da operação Luz na Infância.
A busca e apreensão visa encontrar arquivos com conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual praticados contra crianças e adolescentes.
A força-tarefa apura crimes de pornografia infantil e de exploração sexual contra crianças e adolescentes. As ações são coordenadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.
Pela primeira vez, a Polícia Federal está atuando no cumprimento dos mandados juntamente com a Polícia Civil dos estados.
No Brasil, a operação acontece também no Amazonas, Amapá, Alagoas, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Piauí, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro, além do Distrito Federal.
As penas para os crimes investigados variam de 1 a 8 anos de prisão. Quem armazena material de pornografia infantil tem pena de 1 a 4 anos de prisão. Para quem compartilha, a pena é de 3 a 6 anos de prisão. A punição alcança 4 a 8 anos de prisão para quem produz esse tipo de material.

BOLSONARO ATACA DORIA NUM ATO EXPLÍCITO DE EJACULAÇÃO ELEITORAL PRECOCE

O presidente Jair Bolsonaro segue firma na determinação de atacar desde já os seus adversários no terreno não-esquerdista. E o faz com, digamos, linguagem característica. Está disposto a não permitir que o governador João Doria, que foi seu aliado objetivo na disputa em 2018 — abertamente no segundo turno — lhe tome o eleitorado de direita. Lê-se na Folha:
O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não tem chance nas eleições presidenciais de 2022 porque é uma "ejaculação precoce".

Na avaliação de Bolsonaro, Doria deveria pensar "talvez" somente nas eleições de 2026. "Ele não tem apoio popular", disse nesta terça (3), em um café da manhã com a Folha no Palácio do Alvorada.

Bolsonaro afirmou ainda que está disposto a concorrer à reeleição. "Pretendo sim, se estiver bem lá", disse.

No sábado (31), em uma conversa com jornalistas, o presidente afirmou que Doria está "morto" para 2022.

Dois dias antes, acusou o tucano de ter "mamado nas tetas do BNDES" no governo do PT, em referência à compra de jatinho a juros subsidiados do banco. Doria rebateu afirmando que nunca precisou mamar em "teta nenhuma".

COMENTO
Como se nota, o presidente pretende arrastar desde já o governador para o confronto. Mas sem, vamos dizer, a gravata e o colarinho da linguagem empregada pelo adversário do mesmo lado.

Doria tem respondido com urbanidade a algumas provocações e procurador evitar o confronto..

Bolsonaro deve saber que se indispõe com parte do eleitorado conservador ao escolher Doria como alvo de modo mais ou menos gratuito, apelando a uma linguagem incompatível com o decoro do cargo que ocupa.

Mas, já vimos aqui, é uma estratégia: quer manter unida a sua tropa de radicais.

Recorre à imagem da ejaculação precoce para uma deflagrar uma campanha eleitoral… precoce.

DESEMBARGADOR MANDA SOLTAR ANTHONY GAROTINHO E ROSINHA MATHEUS

Menos de 24 horas após a prisão preventiva dos ex-governadores do Rio Anthony Garotinho e Rosinha Matheus, o desembargador Siro Darlan acolheu o pedido da defesa do casal e concedeu habeas corpus para a soltura.

De acordo com o Ministério Público, Anthony e Rosinha embolsaram, juntos, mais de R$ 25 milhões em propina da empreiteira Odebrecht, através de contratos celebrados com a Prefeitura de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense.

Ontem, a promotora Simone Sibilio, coordenadora do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de combate ao Crime Organizado) do MP-RJ, destacou que manter Garotinho detido seria um "desafio". "O MP já mostrou necessidade da prisão em manutenção. Cabe ao Poder Judiciário a manutenção desta prisão", ressaltou.

A Odebrecht foi responsável pela construção de casas populares dos programas "Morar Feliz I" e "Morar Feliz II" durante os dois mandatos de Rosinha como prefeita da cidade, entre 2009 e 2016. De acordo com o MP-RJ, as obras teriam custado no total mais de R$ 1 bilhão.

Além de Anthony e Rosinha, foram presas outras três pessoas apontadas como transportadoras de valores: Sérgio dos Santos Barcellos, que teria sido intermediário das negociatas em 2008; Ângelo Gomes, que teria trabalhado para o casal em 2012, e Gabriela Quintanilha, que teria exercido essa função em 2014.

O advogado do casal, Vanildo José da Costa Júnior, havia classificado a prisão como "absolutamente ilegal e infundada".

* (Com Estadão Conteúdo)

MELLO FRANCO: BOLSONARO REPETE COLLOR COM POPULISMO EM VERDE E AMARELO

O jornalista Bernardo Mello Franco, em sua colunano jornal O Globo, comenta a decisão de Bolsonaro convocar a população para sair às ruas no dia sete de setembro vestindo verde amarelo. "Depois de 27 anos, Jair Bolsonaro repetiu Collor". 
"Em agosto de 1992, Fernando Collor já estava com um pé fora do Planalto. A cada dia, apareciam novas provas de corrupção no governo. Nas ruas, crescia o movimento a favor do impeachment."
"Acuado, Collor resolveu transformar uma solenidade oficial em comício. Ao anunciar benesses para taxistas, ele apelou ao patriotismo e pediu ao povo que saísse de verde e amarelo no domingo. 'Vamos mostrar as cores que balançam o nosso coração', bradou, entre juras de amor à 'nossa pátria querida'. Deu tudo errado. Os brasileiros saíram de preto, em sinal de repúdio ao presidente."
"Bolsonaro está com a popularidade em queda, mas ainda não é tão rejeitado quanto Collor em 1992. Mesmo assim, resolveu reciclar o populismo em verde e amarelo".

BOLSONARO ELOGIA TORTURA E MORTE DO PAI DE BACHELET POR PINOCHET

Em resposta a uma entrevista da Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet, ex-presidente do Chile, Jair Bolsonaro fez o mais odioso de seus ataques até hoje: elogiou a tortura e morte do pai de Bachelet pelo regime sanguinário de Augusto Pinochet, afirmou que o Chile "só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973" e disse que a ex-presidente está "seguindo a linha" do presidente da França, Emmanuel Macron, tentando se "intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira" ao falar de direitos humanos

Jair Bolsonaro usou sua conta no Facebook para atacar a Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet, após a ex-presidente do Chile fazer duras críticas ao que chamou de “encolhimento do espaço cívico e democrático" no Brasil com o atual governo. Na postagem Bolsonaro atacou cruelmente a memória do pai da ex-presidente chilena, o brigadeiro Alberto Bachelet, que após ter sido acusado de “traição à pátria”, faleceu devido a torturas em 1974, meses depois do sanguinário golpe de Augusto Pinochet. Para Bolsonaro, Bachelet está "seguindo a linha" do presidente da França, Emmanuel Macron, e tenta se "intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira" ao falar de direitos humanos no Brasil. 

"Michelle Bachelet, Comissária dos Direitos Humanos da ONU, seguindo a linha do Macron em se intrometer nos assuntos internos e na soberania brasileira, investe contra o Brasil na agenda de direitos humanos (de bandidos), atacando nossos valorosos policiais civis e militares", escreveu Bolsonaro em seu perfil no Facebook. Junto com o post, Bolsonaro publicou uma foto em que Bachelet aparece ao lado da ex-presidente deposta Dilma Rousseff e da ex-presidente argentina Cristina Kirchner, em sua segunda cerimônia de posse como presidente do Chile (2006-2018).

No outro trecho da postagem Bolsonaro defendeu a tortura e morte do brigadeiro Alberto Bachelet, pai da Alta Comissária da ONU, por membro da ditadura militar chilena. “Diz [referindo-se a Bachelet} ainda que o Brasil perde espaço democrático, mas se esquece que seu país só não é uma Cuba graças aos que tiveram a coragem de dar um basta à esquerda em 1973, entre esses comunistas o seu pai brigadeiro à época”, escreveu. A menção faz data do golpe de Estado no Chile que levou Augusto Pinochet ao poder, em 11 de setembro de 1973. Acusado de “traição, Alberto faleceu no dia seguinte à sua prisão em decorrência das torturas a que foi submetido no Cárcere Público de Santiago. 

O ataque contra a Alta Comissária da ONU veio na esteira da afirmação feita por ela de que o espaço democrático no Brasil está encolhendo no governo Jair Bolsonaro e que isto tem sido evidenciado com os ataques diretos contra defensores de direitos humanos, instituições de ensino e pesquisa e na restrição e criminalização de trabalhos e instituições da sociedade civil, o que inclui as ONGs.

O ataque brutal a Bachelet foi feito às vésperas da primeira viagem de Bolsonaro para participar da Assembleia Geral da ONU, em Nova York. Na reta final da campanha feita pelo governo brasileiro para conseguir mais um mandato como membro do Conselho de Direitos Humanos da ONU, o ataque pode decretar a exclusão do país do fórum.

BOLSONARO PEDE PARA POPULAÇÃO USAR VERDE E AMARELO NO 7 DE SETEMBRO

O presidente Jair Bolsonaro pediu nesta terça-feira, 3, para que a população vista verde e amarelo no Dia da Independência, 7 de Setembro. “Lembro que lá atrás um presidente falou isso e se deu mal. Mas não é o nosso caso”, declarou Bolsonaro.
“É para mostrar ao mundo que aqui é o Brasil. Que a Amazônia é nossa”, disse o presidente. Em 1992, Fernando Collor convocou os brasileiros a ir às ruas vestindo as cores da bandeira. Em várias cidades do país, no entanto, as pessoas usaram peças pretas. A reação impulsionou protestos pela saída de Collor da Presidência.

Bolsonaro disse que “personalidades religiosas e empresariais” devem participar do evento na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Ele citou o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus. O presidente discursou no lançamento da “Semana do Brasil”, campanha para estimular ações promocionais de 6 a 15 de setembro. Segundo o Planalto, 4.680 empresas e entidades “estão mobilizadas e vão participar ativamente oferecendo descontos, promoções e benefícios reais aos consumidores”.
O governo não divulgou o nome de empresas envolvidas. No evento, Bolsonaro voltou a defender o período do regime militar (1964 – 1985). “Pode ter sido difícil em algumas coisas, mas foi ‘dez’ na economia, família, amor ao próximo e à pátria”, disse.

Bolsonaro afirmou que deve participar por videoconferência de reunião com presidentes da região amazônica, prevista para sexta-feira, 6, na cidade de Letícia, na Colômbia. Ele cancelou a ida ao local por recomendação médica.

Sem citar o presidente da França, Emmanuel Macron, Bolsonaro disse que um líder “do outro lado do (Oceano) Atlântico resolveu falar sobre soberania relativa” da floresta. “Mexeu conosco”, disse. “No primeiro momento (da crise) eu estava lá embaixo, mas o pessoal foi acordando”, declarou Bolsonaro.

VÍDEO: COLLOR PEDE AO POVO PARA SAIR ÀS RUAS COM AS CORES DO BRASIL PARA DEFENDER O GOVERNO



CAMINHONEIROS SE DIZEM TRAÍDOS E ARTICULAM “FORA, BOLSONARO”

A Coluna Painel S.A. de Joana Cunha na Folha de S.Paulo informa que o racha entre líderes de caminhoneiros cresceu nesta terça (3) enquanto alguns planejavam manifestações em defesa da tabela do frete. Os mais antigos se negam a protestar e pedem foco na negociação com o governo, mas novatos prometem vias fechadas com faixas de “Fora, Bolsonaro”.
De acordo com a publicação, o julgamento da tabela do frete estava marcado para esta quarta (4), mas foi adiado. Marcelo da Paz, líder caminhoneiro de Santos, disse ter desistido da ideia de parar o porto e incentivar greve quando ouviu áudios nos grupos de Whatsapp de motoristas ameaçando tombar caminhões dos que tentassem trabalhar e depois incendiá-los.
Os caminhoneiros que defendem diálogo com o governo afirmam que, caso sejam criadas medidas que permitam a contratação de autônomos por empresas sem a participação de intermediários e a adoção obrigatória de sistema eletrônico que garanta o pagamento dos pisos mínimos, já estarão satisfeitos. Por outro lado, os que prometem parar afirmam terem sido traídos pelo governo Bolsonaro após o adiamento do julgamento sobre a constitucionalidade da tabela, completa a Folha.

DATAFOLHA: 70% REPROVAM INDICAÇÃO DE EDUARDO BOLSONARO PARA EMBAIXADA

Uma pesquisa Datafolha, publicada hoje pelo jornal Folha de S.Paulo, indica que 70% dos brasileiros reprovam a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada dos Estados Unidos.

De acordo com o levantamento, o índice de pessoas que consideram que o presidente Jair Bolsonaro está agindo bem ao indicar o filho para o cargo é de 23%.Já 1% das pessoas respondeu que ele não está agindo nem bem nem mal e outros 5% disseram "não saber".

A pesquisa foi realizada entre os dias 29 e 30 de agosto e ouviu 2.878 pessoas em 175 municípios do Brasil. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Entre os recortes da pesquisa, a Folha de S.Paulo publica que a indicação é reprovada por 53% das pessoas que votaram em Bolsonaro nas eleições de 2018. A aprovação dentro deste universo é de 40%.

Entre os eleitores de Fernando Haddad (PT), 88% acreditam que Bolsonaro agiu mal na indicação do filho.

A indicação de Eduardo Bolsonaro ainda não foi oficializada. A aprovação do nome do deputado para o posto precisa seguir algumas etapas. Depois de publicada no Diário Oficial da União, a indicação de Eduardo precisa ser aprovada pelo Senado.

Primeiro ele deve ser sabatinado na Comissão de Relações Exteriores da Câmara, presidida por ele, e depois seu nome passará por uma votação secreta no colegiado, seguida de outra votação secreta no Senado. Para ser aprovado, ele precisa obter a maioria dos votos dos 81 senadores.

AGRIPINO LEVA ÁLVARO DIAS E TOMBA PARA AUDIÊNCIA COM PRESIDENTE DO SENADO

O presidente estadual do DEM, José Agripino, está em Brasília discutindo questões do seu partido.
Mas aproveitou para levar o prefeito Álvaro Dias e o deputado estadual Tomba Farias a uma audiência com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), nesta segunda-feira (02).
Assunto foi a liberação de recursos para os municípios de Natal e Santa Cruz.

CID GOMES PASSA MAL NA TRIBUNA DO SENADO

Susto no Senado Federal nesta terça-feira (03).
O senador Cid Gomes (PDT-CE) passou mal enquanto fazia a leitura de um relatório na tribuna da Casa Legislativa.
Foi uma correria.
O diagnóstico foi queda de pressão.

SELEÇÃO PARA VAGAS REMANESCENTES DO FIES COMEÇA NESTA QUARTA-FEIRA

Começa nesta quarta-feira (4), o processo seletivo para vagas remanescentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) referente ao segundo semestre de 2019. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo site do programa. As vagas são aquelas que não foram ocupadas no decorrer dos processos seletivos regulares do Fies, por desistência dos candidatos pré-selecionados ou falta de documentação, por exemplo.
Assim como ocorre desde o segundo semestre de 2015, houve o estabelecimento de cursos prioritários. Até sexta-feira, 6 de setembro, serão ofertadas somente as vagas remanescentes nas áreas: saúde, engenharia e ciência da computação, licenciatura, pedagogia normal e superior. A partir do dia 7, serão oferecidas vagas para todas as áreas. Candidatos não matriculados em Instituição de Educação Superior podem se inscrever até 11 de setembro. Para os matriculados o prazo vai até 29 de novembro.
Para participar do processo seletivo, o candidato deve ter participado do Enem, a partir da edição de 2010, com média igual ou superior a 450 pontos e nota na redação superior a zero. O candidato precisa ainda comprovar renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos.
A ocupação das vagas será efetuada de acordo com a ordem de conclusão das inscrições, que garantem ao candidato apenas a expectativa de direito à vaga para a qual se inscreveu. Após a conclusão da inscrição, o candidato tem dois dias úteis para validar as informações na instituição de ensino.
Candidatos que não tenham quitado um financiamento anterior pelo Fies ou pelo Programa de Crédito Educativo não podem se inscrever, assim como quem atualmente possui financiamento do Fies.

APÓS TROCA DE ACUSAÇÕES COM SECRETÁRIO, BOLSONARO DEMITE PRESIDENTE DE AGÊNCIA

O presidente Jair Bolsonaro exonerou o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial ( ABDI ), Luiz Augusto de Souza Ferreira . A demissão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira e ocorre após Ferreira acusar seu superior, o secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa , de fazer "pedidos não republicanos ".

Na mesma decisão, Bolsonaro nomeou Igor Calvet como novo presidente da ABDI. Calvet era o adjunto de Costa na secretaria. O secretário levou a melhor no conflito e permanecerá no cargo , segundos fontes graduadas do governo.


A disputa começou na sexta-feira, quando Guto Ferreira, em entrevista à revista "Veja", afirmou que o secretário o queria fora da agência porque seus "pedidos não republicanos" não foram atendidos.

Dois dias depois, o então presidente da ABDI foi mais claro ao dizer ao "Estado de S.Paulo" ter sofrido pressão de Costa para usar recursos da instituição no aluguel de salas comerciais em São Paulo para abrigar escritórios da secretaria.


Em entrevista ao colunista do GLOBO, Lauro Jardim , Carlos da Costa afirmou que o presidente da ABDI mentiu.

— Ele mentiu. Se eu tivesse feito pedidos não republicanos eu tinha que sair do cargo. Não fiz. Ele tem que dizer e provar que propostas foram essas.

Na segunda-feira, Bolsonaro afirmou que havia mandado o ministro da Economia, Paulo Guedes, apurar o caso e avisou que um dos dois iria "perder a cabeça", sem descartar inclusive a demissão dos dois. Na terça, o presidente disse que a decisão caberia a Guedes.
 
Em uma publicação em sua conta no Instagram nesta quarta-feira, Costa afirmou que sua honra e sua integridade foram "atacadas de maneira mentirosa e vazia" e agradeceu a confiança de Bolsonaro e de Guedes.

Costa disse que Calvet é a pessoa certa para assumir a ABDI por ser "capaz, íntegro, com enorme compromisso público" e desejou "sucesso, firmeza e sabedoria" a ele no novo cargo.

A ABDI é subordinada ao Ministério da Economia, mas cabe ao presidente da República nomear e demitir seu dirigente. Nos corredores de ministérios da área econômica do governo, a informação é que Carlos da Costa não escondia sua intenção de substituir Ferreira — no cargo desde a gestão do ex-presidente Michel Temer.

BOLSONARO DEFENDE TROCA NA PF E DIZ QUE NOVO DIRETOR PRECISA SER 'MORO FUTEBOL CLUBE'

O presidente Jair Bolsonaro defendeu a troca na Polícia Federal e afirmou que a instituição precisa de um novo diretor. Ele afirmou que já teve uma conversa com o minsitro da Justiça, Sergio Moro , sobre uma possível mudança na direção da PF. Para Bolsonaro, o novo chefe "tem que ser Moro Futebol Clube". Ele disse que prentede disputar a reeleição"se estiver bem" e que ainda não desistiu de emplacar seu filho Eduardo Bolsonaro na embaixada do Brasil em Washington, nos Estados Unidos.

- Está tudo acertado com o Moro, ele pode trocar quando quiser - disse em entrevista ao jornal "Folha de S. Paulo", publicada nesta quarta-feira. Recentemente, Moro afirmou que o diretor-geral Maurício Valeixo "permanece" no cargo e tem a sua "confiança" . No entanto, questionado se não há alguma possibilidade de Valeixo sair, Moro disse que "as coisas eventualmente podem mudar". 

Bolsonaro não negou que o nome do delegado Anderson Gustavo Torres, atual secretário de Segurança do Distrito Federal, seja seu favorito para assumir a PF. Ele rechaçou, no entanto, que a sua interferência na PF tenha algo a ver com investigações envolvendo seu filho, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). 

- Já investigaram a vida da minha família inteira e não acharam nada disse. 

Ele chamou de "babaquice" a reação de policiais federais às declarações dele sobre trocas no comando da PF.

FESTA DOS 50 ANOS DO JORNAL NACIONAL JUNTA OS APRESENTADORES WILLIAM BONNER E FÁTIMA BERNARDES

Um seleto time de jornalistas se reuniu na noite de domingo (1) em um restaurante no bairro do Jardim Botânico, onde fica a sede da emissora, para brindar aos 50 anos do Jornal Nacional, primeiro programa de TV no Brasil apresentado em rede nacional.

Faltou muita gente na foto, é verdade, mas os registros já garantem alguns encontros impensáveis, quase improváveis. Só de ver William Bonner e Cid Moreira juntos, bem ao lado de Fátima Bernardes, Renata Vasconcellos, Sérgio Chapelin, Patrícia Poeta e Alice-Maria, já é um afago para quem, como esta jornalista, zela pela memória da televisão brasileira.

Alice-Maria era o braço forte de Armando Nogueira, diretor de jornalismo da Globo naquele setembro de 1969, quando o JN decolou, até 1989, quando se demitiu, logo após a famosa edição do debate final entre Lula e Collor para a eleição presidencial.

A edição foi assumidamente realizada por Alberico de Souza Cruz, subalterno de Nogueira, que, diante da saída do chefe, assumiu o posto. Por bons anos, Alberico serviu aos Marinhos como homem forte do jornalismo da Globo, até se substituído, em 1995, por Evandro Carlos de Andrade, vindo do jornal da família, O Globo.

Foi Evandro quem peitou a troca dos locutores Cid Moreira e Sérgio Chapelin por dois jornalistas, Bonner e Lillian Witte Fibe, primeira titular do Jornal Nacional (que não foi ao encontro). Evandro morreu em junho de 2001. Nogueira se foi em 2010.

Alberico também esteve na celebração da noite deste domingo (1).

Faltou também Celso de Freitas, que apresentou o JN com Cid Moreira entre 1983 e 1989, enquanto Chapelin esteve no SBT. Hoje titular do Jornal da Record, onde vez ou outra noticia manchetes contrárias à família Marinho e ao Grupo Globo, Freitas não foi convidado.

Responsável pela concepção de rede que se tinha em 69, graças a um período passado nos Estados Unidos, de onde vinha o sonho de fazer uma televisão coast to coast (aqui dita de norte a sul), Boni (José Bonifácio de Oliveira Sobrinho) também não estava na celebração.

Há dez dias, procurei Boni, pilar essencial na construção da hegemonia da Globo, para confirmar se o JN foi de fato o primeiro programa de TV em rede feito no Brasil. A informação serviria a um texto de análise para a Ilustrada, da Folha, e ele me respondeu o seguinte:

“O JN só foi possível com a inauguração da rede de micro ondas da Embratel então empresa estatal. No início, devido às custas altas da rede, somente o JN era ao vivo. Mas em 70 também atualizamos as novelas. O modelo JN veio da TV dos Estados Unidos. Uma curiosidade: assim que a rede foi inaugurada, um grupo da Globo almoçava e discutíamos a viabilidade do JN. O problema era o custo. O diretor comercial, Ulisses Arce, levantou- se e disse: ‘Eu banco. Vendo amanhã’ . E vendeu. Walter [Clark, diretor-geral da Globo na época] e Arce queriam um jornal com a entrada de locutores de diversas praças. O Armando Nogueira e eu discordamos. O Walter achava que o Armando era contra. Mas, afinal o nosso formato venceu. O conceito do JN foi definido por mim, Armando e Alice-Maria. E eu escolhi o horário para brigar com o Repórter Esso.”

Na noite deste domingo, João Roberto Marinho, presidente do Conselho Editorial do grupo, comemorou a ocasião, lembrando que o JN foi o grande sonho realizado de seu pai, Roberto Marinho.

“Muito bom comemorar com essa equipe os 50 anos do JN, que foi a realização de um sonho do meu pai: um jornal capaz de reunir o país e levar informação de qualidade para os brasileiros”, disse ele, segundo comunicado distribuído pela Globo que aqui reproduzimos. “Parabéns pelo que fizemos e pelo que ainda vamos fazer.”

Atual diretor de jornalismo da casa, Ali Kamel completou: “Gostaria de dizer, em nome de todos, que reconhecemos que só podemos fazer o jornalismo que fazemos graças à independência que a família Marinho tão corajosamente nos garante. E agradecer por isso”.

Além de diretores de jornalismo da Globo, executivos, e profissionais de bastidores, também estiveram presentes na comemoração nomes como Sandra Annenberg, Glória Maria, Maju Coutinho, César Tralli, Léo Batista, Dulcineia Novaes, Chico Pinheiro, Zileide Silva, Caco Barcellos, Sonia Bridi, Ernesto Paglia e Renato Machado.

Marluce Dias da Silva, que sucedeu Boni no comando geral da Globo, tendo passado pouco tempo no cargo, esteve presente.

CNN VAI ESTREAR COM UM TIME DE EX-GLOBAIS





CNN Brasil está chegando com força total. O canal de notícias não estreou, mas já movimentou todo o mercado jornalistico e televisivo. A emissora de TV Paga vem tirando nomes de peso de emissoras. A Globo tem sido uma das mais afetadas até o momento.

Mas quem pensa que parou por aí está enganado. A nova emissora brasileira continua atacando os concorrentes. Nesta terça-feira, 03 de setembro, CNN Brasil anunciou a contratação de Monalisa Perrone. Ela comandava o Hora 1 na TV Globo. 

O canal está mirando pelo menos 4 nomes global para integrar seu casting. De acordo com informações divulgadas pelo site N1 Entretenimento, CNN Brasil tem interesse nos passes de Carlos Tramontina (SP2), Michelle Loreto (Bem-Estar) e Renata Vasconcellos (Jornal Nacional).

Além desses nomes citado acima, – segundo o site Na Telinha, a emissora também está sondando César Tralli. Dentro da proposta da CNN, ela oferece um gordo salário e a possibilidade de alcance nacional. Além disso, outro fator muito tentador é o fato do canal prometer bem liberdade, do que a Globo oferece aos seus profissionais no jornalismo. 

Claro é os jornalistas da Globo não é os únicos que desperta interesse da CNN Brasil. Rachel Sheherazade, Roberto Cabrini foram um dos que a emissora tentou contato no SBT. Além deles, Karyn Bravo e Analice Nicolau também receberam propostas, mas as negociações não avançaram. Hoje, Karyn apresenta o Jornal da Cultura, na TV Cultura.

Monalissa Perrone pediu demissão da Rede Globo na manhã desta terça-feira, 03. Ela deixou a emissora carioca para fazer parte do canal CNN Brasil. Para substituir a moça, o canal escalou Roberto Kovalic, ele estreia na próxima segunda-feira, 9 de setembro. 

Nas redes sociais da CNN:

Comentários