Agricultores do Baixo Açu esperam duplicar produção de banana com investimentos

Os agricultores instalados no Setor II do Distrito Irrigado do Baixo Açu (DIBA) esperam pelo menos dobrar a produção de banana, mamão e outras frutas, em decorrência do investimento de R$ 541 mil realizado pelo Governo do Rio Grande do Norte, através do Governo Cidadão, com recursos do empréstimo do Banco Mundial. O dinheiro já assegurou a aquisição de uma nova bomba e a reestruturação da estação de bombeamento da água usada nos pomares nos 22 lotes. Os fruticultores agora aguardam a chegada de novas máquinas agrícolas e a automação dos sistemas de irrigação.
Não vemos a hora de ver as benfeitorias chegarem aqui, para que a produção cresça, a margem de lucro seja elevada, possibilitando a abertura de novas vagas de emprego e, consequentemente, trazendo melhoria de vida para toda a região”, anima-se José Antônio, um dos 16 beneficiários do projeto no Vale do Açu. Ele produz anualmente 176 toneladas de banana, comercializadas em feiras livres do RN e nas Centrais de Abastecimento de outros estados nordestinos.
O otimismo é endossado pelos profissionais que garantem assistência técnica aos produtores.
Além de facilitar o trabalho de todos os produtores, a automação vai promover uma queda no custeio de produção, com a diminuição da mão-de-obra, de energia elétrica e mesmo, de água, aumentando a eficiência, uma vez que só será irrigada a área necessária”, explicou Lucieudes Lopes, da Emater-RN.
Todos esses detalhes foram levados em conta durante a análise socioeconômica feita pelos consultores em economia da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e do Governo Cidadão, Boris Sterk e Mavigson Francisco, que visitaram nesta quarta-feira (02) o Setor II do DIBA, em Alto do Rodrigues.
Durante a visita, identificamos a receita e os custos fixos e operacionais, quando conseguimos chegar a um cálculo que nos dá a noção do cenário mais próximo daquele que o investimento vai promover a cada um desses beneficiários”, explicou Mavigson, referindo-se à metodologia em construção para fomentar a sustentabilidade dos negócios. A ideia é aplicá-la em todos os subprojetos de inclusão produtiva apoiados pelo Governo Cidadão.
Outros investimentos
Por meio do acordo de empréstimo com o Banco Mundial, o Governo do Estado está recuperando o canal de irrigação principal, ampliando a rede elétrica, reformando a subestação de energia, construindo reservatórios e sistemas de bombeamento, para possibilitar a produção de frutas em três mil hectares do DIBA. Os investimentos estruturantes somam R$ 8,3 milhões e incluem ainda a recuperação de duas estações de bombeamento de água e reconstrução da estrutura elétrica nos 20 km de extensão do canal de irrigação.
Fonte: Defato.com 

Comentários