Fora do testamento, companheira de Gugu vai lutar por herança e afirma que eram casados

Rose, em uma das fotos da família, ao lado de Gugu e filhos (Foto:  Reprodução/Instagram)
Após ser aberto o testamento de Gugu Liberato, assinado por ele em 2011, a herança deixada pelo apresentador foi destinada em 75% para os três filhos João, Sofia e Marina (gêmeas), e 25% entre os sobrinhos. Rose Miriam Souza di Matteo, a mãe de João e das gêmeas, não foi mencionada nem como curadora legal das meninas que ainda não têm idade legal para assumir os bens.
Em entrevista à coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo de sexta-feira, 20, Rose explicou que vai contestar a decisão, pois mesmo não tendo oficializado a união os dois viviam juntos há anos. Caso ela ganhe a causa, passará a ter direito sobre a metade da herança do apresentador.
A companheira de Gugu esclarece que não pretende entrar em choque com a família de Gugu, apenas quer fazer valer seu direito e que assim que receber parte da herança, na mesma hora doará aos filhos.
Sobre a versão de que os dois não teriam relação estável com o apresentador, sendo ela apenas amiga dele e mãe das crianças, Rose esclarece: “A própria família dele estava cansada de nos ver juntos, há 19 anos. Eu chamava ele de anjo. Nunca tive outro homem a não ser ele. Há pessoas que não querem aceitar a minha união estável com Gugu. Nós sempre fomos uma família. Marido e mulher, mãe e pai de três filhos. Só isso. É tão óbvio. Tenho inúmeras provas disso”.
Ela ainda conta que no Brasil, os dois moravam em casas separadas porque Gugu prezava muito pelo silêncio, mas em Orlando (EUA) dividiam o mesmo teto e até o mesmo guarda-roupa. Além, de toda semana ele depositar uma quantia para suprir os gastos da casa e da própria Rose.
Na quinta-feira, 19, a assessoria de Gugu emitiu o seguinte comunicado sobre o testamento e a divisão dos bens:
“Antonio Augusto de Moraes Liberato, em plenas capacidades físicas e mentais, deixou testamento, onde expressa suas últimas vontades e dispõe dos seus bens moveis, imóveis, materiais e imateriais, contemplando seus familiares e principalmente, em quase sua totalidade os seus três filhos, João Augusto, Marina e Sofia.
Tal testamento foi lido na presença de tabelião e notário, com a presença da mãe de seus filhos, seus filhos e familiares de Gugu, sendo que naquela data, o testamento foi por todos reconhecido e assinado espontaneamente, inclusive por Rose Miriam Di Matteo. O irmão de Rose estava presente.
Ocorre que após tal ato legal e solene, a mãe dos herdeiros, Rose Miriam Di Matteo e João Augusto, filho do apresentador, foram levados por seus parentes, às 9 horas da noite, a residência de um outro advogado, que não obstante, mesmo sabendo que a mesma já havia constituído advogado para si e para seus filhos, foi levada a assinar uma outra procuração, constituindo um segundo advogado, Dr. Nelson Willis & Associados. João Augusto se recusou a assinar qualquer papel.
Ciente posteriormente de que tal fato poderia ocasionar problemas ao espólio, o que fatalmente acarretaria uma disputa judicial entre mãe e filhos, houve por bem, por parte de Rose Miriam, redigir e enviar carta de punho próprio revogando e retirando a representação deste segundo advogado. Isto posto, percebe-se que a indução e mal aconselhamento está vindo de terceiros não contemplados no aludido testamento. Terceiros estes que usam de má fé para criar problemas constituindo novos advogados com a única finalidade de obstruir a vontade legitima de Antonio Augusto Moraes Liberato, tão bem expressa em seu testamento, que por legítimo é incontestável.
Outrossim, vale ressaltar que desde o momento da triste fatalidade, Rose Miriam Di Matteo vem sendo assediada por inúmeros advogados, tanto nos EUA, como no Brasil, que por vários meios e argumentações sugerem representá-la, ocultando o fato de que uma eventual disputa seria, dela Rose, contra seus filhos, reconhecidos herdeiros. O apresentador nomeou como inventariante e curadora legal dos filhos menores, sua própria irmã, Aparecida Liberato, por reconhecê-la apta e capaz de levar a bom termo a liquidação do testamento e de sua expressa vontade.
Dr. Carlos Eduardo Farnesi Regina, por mais de 20 anos advogado de Antonio Augusto Moraes Liberato, foi o responsável pela leitura do testamento, reunião esta registrada em cartório e ata pública e nesta data reconhecido por Rose Miriam e seus filhos como seu legítimo advogado, sendo que este reconhecimento veio a ser reforçado posteriormente por carta de punho próprio escrita por Rose e também pelo depoimento de seu filho, João Augusto, maior de idade, que recusou-se a assinar procuração para o referido segundo advogado, Dr. Nelson Willis & Associados, no mesmo dia da abertura do testamento”.
Tragédia 
Gugu Liberato morreu aos 60 anos de idade, no dia 22 de novembro, após sofrer morte cerebral em decorrência de um acidente doméstico em sua mansão em Orlando, nos Estados Unidos. O apresentador da Record TV subiu no forro do telhado para trocar o filtro do ar-condicionado quando caiu de uma altura de 4 metros e bateu a cabeça.
A família prestou os primeiros socorros prontamente e chamou uma ambulância, porém Gugu chegou ao hospital já em estado grave, a ponto de os médicos abortarem qualquer possibilidade de cirurgia.
Após avaliação de três médicos, incluindo um neurologista brasileiro, Liberato não apresentou atividade cerebral nas 48 horas depois o acidente e sua morte cerebral foi anunciada. Saiba mais sobre o caso. (Com informações Catraca Livre).

Comentários