Bolsonaro avalia reformulação do programa Bolsa Família para beneficiar mais pessoas

Porta-voz da República, Otávio Rêgo Barros (Foto: Anderson Riedel/PR)
O porta-voz da República, Otávio Rêgo Barros, disse na tarde de quarta-feira, 8, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), reformulará o antigo Bolsa Família. Segundo ele, ainda não há previsão de lançamento para o novo programa, que ainda está sendo avaliado. No entanto, em reunião no Palácio do Planalto com a participação do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e integrantes do Ministério da Cidadania, parte do programa foi apresentado ao chefe do Executivo. Uma mudança no nome do programa também está em contexto.
“As arestas estão sendo aparadas e será submetido a apreciação conjunta da Casa Civil, Economia e Cidadania para que o presidente possa referendar, por fim, o que vem sendo apresentado a ele. Mas é um belo programa que visa recuperar alguns aspectos que ficaram para trás nos programas assistencialistas de governos passados, privilegiando mérito e imaginando possibilidade de saída de pessoas do programa a partir de que elas evoluam como cidadão”, afirmou.
Ainda segundo Rêgo Barros, o sentido dado pelo governo Bolsonaro é o de aperfeiçoamento do antigo programa Bolsa Família com o intuito de verificar quem merece ou não participar. Além disso, “o programa também usará critérios meritocráticos, que avance em direção de pessoas com menor idade e das que necessitam”, apontou o porta-voz.
O benefício é concedido a famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89 mensais, e de pobreza, com renda entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais por membro. O benefício médio pago a cada família é de R$ 189,21. (Com informações Correio Braziliense).

Comentários