Chineses visitam campos de produção de melão no RN interessados na exportação da fruta

O Brasil será o primeiro país a ser liberado pelos chineses a exportar a fruta (Foto: Assecom/Sape)
Desde segunda-feira, 13, o Rio Grande do Norte abriga uma missão do Governo da China que está avaliando as condições fitossanitárias de produção de melão no RN e Ceará. A comitiva é composta por técnicos chineses, acompanhados por técnicos do Governo do RN – representado pela Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape) e pelo Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária (Idiarn), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e do Comitê Executivo de Fruticultura do RN (Coex), instituição responsável pelo monitoramento e fiscalização do controle de moscas das frutas no Estado, área reconhecida como livre da praga, única no Brasil.
A visita é o acontecimento mais importante da fruticultura potiguar dos últimos anos, é a última etapa para liberação das exportações de frutas para o mercado chinês, que consume o equivalente a 420.000 ha de melão em produção própria. O Brasil será o primeiro país a ser liberado pelos chineses a exportar a fruta, que certamente serão os melões potiguares.
Os técnicos visitaram várias fazendas produtoras de melão, onde viram: campos de produção, manejo de pragas e doenças, packing houses, irrigações, entre outros. Também visitaram laboratórios da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), e conheceram as iscas atrativas das moscas das frutas espalhadas nas fazendas e por toda região.
O secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca, Guilherme Saldanha, esteve recepcionando os chineses junto com o presidente da Agrícola Famosa, Luiz Roberto Barcelos e outros produtores de melão da região, além de técnicos da Defesa Agropecuária dos órgãos federais e estaduais, que estão acompanhando a visita até esta sexta-feira, 17.
“Estamos numa grande expectativa positiva da liberação da exportação, tendo em vista o acordo assinado em novembro passado, com possíveis embarques ainda nesta safra para os chineses. Com a liberação, os produtores podem dobrar suas áreas em até três anos, isto significa 60.000 empregos para o RN. A política de incentivo e atração de empresas da governadora Fátima Bezerra está trabalhando diuturnamente para garantir mais empregos, oportunidades e desenvolvimento para nosso estado”, destacou o secretário Saldanha.

Comentários