“Matou para não morrer”, diz advogada sobre o caso Maria Eduarda, em Caicó

Eduarda em liberdade
A jovem Maria Eduarda, de 19 anos, teve a prisão em flagrante relaxada pela Justiça de Caicó, atendendo pedido formulado pela advogada Anayran Lima, que sustentou a tese de legítima defesa e apresentação espontânea. “Matou para não morrer”, explicou a advogada.
Maria Eduarda teve uma forte discussão com marido, Ailton Arthur, de 25 anos, e o matado com um tiro de pistola. Em seguida, a jovem ligou para a Polícia Militar e comunicou o fato. A PM a conduziu a delegacia, onde foi autuada pelo delegado Francisco das Chagas.

Comentários