Ocupações do MST caem pela metade no primeiro ano do governo Bolsonaro

Militantes do MST durante marcha em 14 agosto de 2018 na capital federal Foto: Sérgio Lima/Poder 360)
O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) informou que foram contabilizadas 12 ocupações de terra ao longo do ano passado. Em 2018, foram 25. Ou seja, queda de 52%.
Com o começo do governo Jair Bolsonaro, o movimento tem recuado em suas ações no campo. O presidente é crítico ao MST e já sugeriu em defini-lo como “grupo terrorista”.
Bolsonaro comemorou essa redução do MST via Twitter em dezembro de 2019. “A propriedade privada é sagrada. O Estado tem o dever de preservá-la”, escreveu na época.
O MST surgiu em 1984 quando foi realizado o 1º encontro do grupo em Cascavel, no Paraná. Atualmente está organizado em todas as regiões do país. No total, há cerca de 350 mil famílias membros do movimento. Defende uma ampla reforma agrária no Brasil e melhores condições de produção no campo.
Trinta e cinco anos após sua fundação, divide opiniões. Grupos ligados à fazendeiros os acusam de “invasores de terra”.
Outros segmentos os defendem. O movimento é ligado à esquerda e ao petismo. Atualmente faz oposição ao governo Bolsonaro, que foi eleito com a promessa de dar “ordem no campo”. (Com informações Poder360).

Comentários